Artigos e Notícias


Gartner aponta 10 tendências estratégicas de TI para 2015

24 de outubro de 2014

O Gartner apresentou no ultimo dia 8, durante o evento Gartner Symposium/ITxpo, em Orlando, nos EUA, as dez principais tendências de tecnologia que serão estratégicas aos negócios da maioria das organizações no próximo ano.

A consultoria define como tendência de TI estratégica aquela com potencial de causar impacto significativo em uma corporação nos próximos três anos. “Nós identificamos as dez principais tendências tecnológicas que organizações não podem se dar ao luxo de ignorar em seus processos de planejamento estratégico”, disse David Cearley, vice-presidente do Gartner, acrescentando que as empresas não precisam, necessariamente, investir em todas as tendências ao mesmo ritmo, mas devem tomar decisões deliberadas sobre elas durante os próximos dois anos.

De acordo com o analista, as principais tendências para 2015 abrangem três temas: a fusão dos mundos real e virtual, o advento da inteligência em todos os lugares e o impacto da tecnologia na mudança do negócio digital. São elas:

Dispositivos móveis:
Com a contínua proliferação dos dispositivos, o Gartner prevê uma maior ênfase ao atendimento das necessidades do usuário móvel em diversos contextos e ambientes, em vez de focar somente no dispositivo.

Internet das Coisas (IoT):
A combinação de fluxos de dados e serviços criados pela digitalização de tudo cria quatro modelos básicos de uso – gerenciar, monetizar, operar e estender. As empresas não devem limitar-se a pensar que só a Internet das Coisas (ativos e máquinas) tem o potencial de alavancar esses quatro modelos. Por exemplo, o modelo pay-per-use pode ser aplicado a ativos, serviços, pessoas lugares e sistemas.

Impressão 3D:
Os embarques mundiais de impressoras 3D devem crescer 98% em 2015, seguido por uma duplicação de remessas em 2016. Novas aplicações biomédicas e de consumo industriais continuarão a mostrar que a impressão 3D é um meio viável e barato, para reduzir os custos através da melhoria dos projetos, protótipos simplificados e de curto prazo de fabricação.

Analytics:
Analytics será o centro das atenções conforme cresce o volume de dados gerados pelo aumento de sistemas embarcados, dentro e fora da empresa onde são analisados. As organizações precisam gerenciar a melhor forma de filtrar a enorme quantidade de dados provenientes da IoT, mídias sociais e dispositivos portáteis, e, em seguida, entregar exatamente a informação certa para a pessoa certa, no momento certo.

Context-Rich Systems:
A utilização de sistemas que utilizam a “informação situacional e ambiental sobre pessoas, lugares e coisas”, a fim de prestar um serviço, está definitivamente em ascensão. A TI precisa olhar para a criação de interfaces de usuário cada vez mais inteligentes que ligam os lotes de diferentes aplicativos e dados.

Máquinas inteligentes:
Análises profundas aplicadas na compreensão do contexto proporcionarão as condições necessárias para um mundo de máquinas inteligentes. Protótipos de veículos autônomos, robôs avançados e assistentes pessoais virtuais já existem e evoluirão rapidamente, dando início a uma nova era de máquinas ajudantes.

Cloud computing:
A convergência da nuvem e computação móvel vai continuar a promover o crescimento de aplicações que podem ser entregues a qualquer dispositivo. No curto prazo, o foco para cloud estará na sincronização de conteúdo em vários dispositivos e a portabilidade de aplicativos entre dispositivos. Com o tempo, as aplicações irão evoluir para suportar a utilização simultânea de vários dispositivos.

Aplicações e infraestruturas definidas por software:
A programação ágil de tudo, desde aplicativos até infraestrutura básica, é essencial para permitir que as organizações ofereçam a flexibilidade necessária para fazer o negócio digital funcionar. Redes, armazenamento, centros de dados definidos por software e segurança estão amadurecendo. Para lidar com a rápida evolução das necessidades dos negócios digitais rapidamente, a computação tem de se afastar do estático para modelos dinâmicos.

Web escala de TI:
Web escala de TI é um padrão de computação de classe global que oferece os recursos de grandes provedores de serviços em nuvem dentro de um ambiente de TI corporativo. Mais organizações vão começar a pensar, agir e construir uma infraestrutura como gigantes da web, tais como Amazon, Google e Facebook.

Risco de segurança e autoproteção:
Todos os caminhos para o futuro digital são guiados pela segurança. No entanto, em um mundo de negócios digitais, segurança não pode ser um obstáculo que impede todo o progresso. As organizações reconhecem cada vez mais que não é possível fornecer um ambiente 100% seguro. Isto levará a novos modelos de construção de segurança diretamente em aplicativos. Perímetros e firewalls não são mais suficientes; cada aplicativo precisa ter autoconhecimento e autoproteção.

Fonte: ti inside online

Voltar
Categorias: Artigos e Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

ENTRE EM CONTATO

11 2384-9879

REDES SOCIAIS